Regras para Viajar com Cachorro

Para muitas pessoas, o cão é parte tão integrada da família que é possível até mesmo esquecer que animais de estimação possuem regras especiais para viajar. Viajar com cachorro não é exatamente complicado, mas é necessário conhecer quais são as regras para cada meio de transporte diferente, ou a viagem pode enfrentar algumas dificuldades.

É sempre necessário levar em considerar que seu pet tende a ter mais estresse que você durante uma viagem, especialmente por não compreender o que acontece naquele ambiente tão estranho para ele. Por isso, uma boa dica – além das regras oficiais de cada meio de transporte – é fazer uma consulta veterinária preventiva.

Explicar ao veterinário sobre a viagem permite que você tenha um melhor preparo para lidar com o cão caso ele tenha muito estresse. Em alguns casos, é recomendado até mesmo recorrer a algum tipo de medicação para acalmar o pet.

Lembre-se que a intenção de viajar com cachorro tem que ser boa para seu cãozinho da mesma forma que será para você – afinal de constas, em nada adianta levá-lo em uma viagem apenas para aumentar seu nível de estresse.

Com isso em mente, confira quais são as regras para viajar com cachorro em diferentes meios de transporte, garantindo sua segurança e o menor nível de estresse possível:

Viajar com cachorro em carros

Viajar com seu pet dentro do carro pode parecer uma tarefa fácil, pois é comum transportar os animais dentro da cidade em trajetos curtos. Na prática, um rápido passeio urbano é muito diferente de viajar na estrada com seu cão.

A palavra de ordem, neste caso, é certificar-se de que seu bicho de estimação esteja adequadamente preso. Para cães pequenos, há a opção de um assento especial com “cintos” que garantem que eles estejam presos sem muitos incômodos.

Se seu parceiro tiver mais de dez quilos, pode-se recorrer ao cinto de segurança para cães. Estes cintos especiais garantem o maior conforto e segurança possível para os cães, da mesma forma que o fazem com humanos. Evite soltar o cão para pegar no colo durante a viagem, pois – além de perigoso – isso é irregular pelas leis de trânsito brasileiras.

Lembre-se, ainda, de fazer pausas regulares na viagem para garantir que o cão possa beber água, urinar e desestressar um pouco.

Viajar com cachorro em ônibus

Se o seu meio de transporte rodoviário for coletivo, os requisitos são um pouco mais burocráticos. Para transportar um animal em um ônibus de passageiros, é necessário que ele esteja dentro de um caixa apropriada para transporte de animais, e que você tenha um atestado veterinário garantindo que o cão está saudável.

Idealmente, você deve avisar a empresa de ônibus que estará carregando seu cão, para que ela faça as eventuais preparações necessárias e retire suas dúvidas a respeito do transporte. Existem algumas regras relativas a cada empresa, como a necessidade ou não de adquirir uma passagem adicional para o cão. Lembre-se que a caixa deve ter o tamanho apropriado para o animal, e que caixas de transporte muito grandes podem ser um risco em casos de freadas bruscas, pois reduzem as chances de que o animal sofra a desaceleração junto à caixa, aumentando o risco de um impacto capaz de lesionar.

Viajar com cachorro em avião

Este é, com certeza, o caso com maior nível de regulamentação. A viagem de bichos de estimação dentro de um aviação é regulada pela Agência Nacional de Aviação Civil, e cada companhia aérea tem autonomia para desenvolver algumas regras próprias.

Em vôos nacionais, é necessário que você apresente atestado veterinário certificando a saúde e a regularidade das vacinais do cão. Além disso, é necessário que ele seja transportado dentro de uma caixa apropriada e ventilada, e que você tenha avisado a companhia aérea antecipadamente para que os devidos cuidados sejam tomados.

Algumas companhias permitem que cães de pequeno porte viajem em suas caixas junto aos donos, mas elas não possuem a obrigatoriedade de fazer isso. Além disso, algumas empresas recusam-se a transportar determinadas raças de cães, e é necessário informar-se previamente.

No caso de viagens internacionais, as regras são basicamente as mesmas, adicionadas das regras do país de destino. Isso significa que cada destino terá suas próprias determinações para que você possa desembarcar com seu cão. Por isso, é essencial que você peça as informações para a companhia aérea com antecedência (pois alguns países exigem tempo prévio de observação).

Leave a Reply