CVC é boa? Vale a pena?

A CVC é, atualmente, uma das maiores operadores de viagens do Brasil. Conhecida por seus variados e excelentes pacotes, a empresa é capaz de entregar muita qualidade por valores bastante interessantes aos seus consumidores.

Criada algumas décadas atrás como uma pequena agência de turismo, a empresa desenvolveu-se para os moldes atuais, onde apresenta até mesmo cotação no mercado internacional.

Para os usuários, no entanto, o que realmente importa é saber se o serviço da CVC é bom e vale a pena. É exatamente isso que preparamos – confira quais são as vantagens e desvantagens de utilizar a CVC como sua operadora de viagem:

O que é a CVC?

A CVC, como já mencionado, é uma operadora de viagens. Essa nomenclatura é bastante importante, e muitas pessoas a confundem com a ideia de uma agência de viagens. A agência, por padrão, é a instituição que vende pacotes e serviços relacionados às viagens, sem operar o serviço propriamente dito.

Não é a agência, por exemplo, que negocia valores de diárias e passagens com as prestadoras do serviço. Este é o trabalho da operadora – a empresa responsável por efetivamente organizar as viagens, negociar com fornecedores e planejar as atividades dos turistas.

A CVC é responsável por diversos pacotes no Brasil e no exterior, e é bastante conhecida pelo equilíbrio de bons serviços por preços bastante interessantes.

Vale a pena?

A maior parte das pessoas que planejam uma viagem perguntam-se se vale a pena recorrer à CVC. A verdade, é claro, é que depende muito do seu estilo, da sua disposição para planejar e do seu orçamento.

Recorrer a um pacote geralmente está relacionado a segurança: é possível planejar menos, pesquisar menos sobre possíveis passeios e preocupar-se muito menos com o andamento da viagem, pois isso é preocupação da operadora. Por isso, se sua intenção é esquecer as preocupações, a CVC provavelmente vale muito a pena para você.

A situação deixa de valer a pena, no entanto, quando seus principais valores são manter o orçamento mais baixo possível ou quando você busca liberdade total em seu itinerário e nos passeios realizados.

Pacote ou organização própria?

Essa é, naturalmente, a pergunta subsequente a saber se a CVC vale a pena ou não. Recorrer a um pacote ou ao planejamento próprio trazem uma série de vantagens e desvantagens. Não há opção melhor ou pior, apenas opções mais ou menos adaptadas às suas necessidades.

Tudo depende de seu estilo: qual é a prioridade? Fazer passeios interessantes, sem precisar pesquisar todos os destinos possíveis por vários dias? Se essa é sua intenção, recorrer à CVC certamente será uma vantagem para você.

Se, por outro lado, você prefere uma viagem mais independente, por orçamentos focados em suas prioridades e liberdade para horários, passeios e locais, pode ser mais interessante que planeje seu próprio itinerário.

Neste caso, é possível que você não vá conseguir aquele preço promocional em um hotel de grande porte, mas você poderá escolher hostels e casas particulares – opções que não fazem parte do catálogo da operadora, e podem enriquecer muito sua experiência de viagem.

Dicas para aproveitar a agência da melhor forma possível

Se você optar por fazer uma viagem através da CVC, existem algumas dicas interessantes que você deve seguir. A operadora costuma oferecer excelentes condições, mas elas nem sempre são financeiramente vantajosas. Não deixe de pesquisar quanto custaria fazer a mesma viagem sem o auxílio da agência, e utilize os valores conseguidos para negociar.

Além disso, trabalhe em seus pacotes. É comum que um mesmo tipo de pacote ofereça hotéis de qualidades diferentes por diferenças de preço que não são tão altas. Converse com a agência e descubra quais hotéis disponíveis realmente valem a pena, e tente negociar a estadia em um deles.

Leave a Reply